Responsabilidade Social

Em toda a sua história, a J.Macêdo sempre buscou apoiar, investir e promover iniciativas com foco no desenvolvimento socioeconômico, na cultura e na preservação do meio ambiente. Conheça alguns projetos que contam com a nossa parceria e apoio.

Formar e direcionar os jovens para o mercado de trabalho, ajudando-os a conquistar o primeiro emprego.

Nós acreditamos na contribuição dos jovens para o desenvolvimento social e do nosso país. Empenhados no potencial dessa juventude, temos um programa para dar suporte à conquista do primeiro emprego. O J.Legal é uma das nossas iniciativas de compromisso social, voltada à capacitação, orientação e inserção de jovens no mercado de trabalho. Para participar do nosso programa, o jovem precisa ter entre 18 a 24 anos, estar cursando ou já ter concluído o ensino médio, morar em Fortaleza, onde fica a nossa sede e acontecem as aulas. Novas turmas são formadas todos os meses.

Na prática, os jovens passam por duas etapas. Na primeira, que sucede a fase de inscrições, eles participam de aulas, com dinâmicas de grupo e simulações de entrevistas. Na etapa seguinte, os participantes irão compartilhar experiências da busca por trabalho e receberão dicas para as próximas oportunidades. Por último, após a colocação em um emprego, o jovem será acompanhado para que o Programa possa verificar sua efetividade. Além disso, temos turmas destinadas à formação de aprendizes e voltadas para jovens com idade mínima de 16 anos.

O Programa J.Legal é desenvolvido em parceria com a Organização Não Governamental (ONG) Rede Cidadã, especializada em geração de trabalho e renda, que tem uma metodologia própria para envolver as comunidades e desenvolver os jovens para o trabalho. Até o momento mais de 1.125 jovens foram capacitados, sendo que 720 já estão empregados.

Quer indicar ou ser um J.Legal? Fale conosco através do e-mail jlegal.fortaleza@redecidada.org.br e saiba mais!

Preparar os jovens para a convivência, a cidadania e a qualificação para o mercado de trabalho.

Fachada Moinho Cultural
Evento realizado no pátio do Moinho Cultural
Aula de dança no Moinho Cultural

A J.Macêdo é uma das parceiras do Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, criado em 2004, e que atende em torno de 400 crianças e adolescentes de Corumbá (MS), Ladário e das cidades bolivianas de Puerto Suárez e Puerto Quijarro.

O Moinho Cultural prepara jovens para a convivência, a cidadania e a qualificação para o mercado de trabalho, promove o acesso a bens culturais, ao ensino de idiomas, a participação em espetáculos e a formação profissional. Tudo isso por meio de atividades artísticas, integração comunitária, intercâmbios nacionais e internacionais de formação artística, fortalecimento e crescimento cultural associado ao desenvolvimento.

O prédio do antigo Moinho mato-grossense, fundado em 1953, de propriedade da J.Macêdo desde a década de 1970 e cedido em comodato para o funcionamento do Instituto, está localizado em Corumbá às margens do rio Paraguai. Antes de ceder as instalações para o funcionamento do Moinho Cultural, a empresa as disponibilizou para sediar o comando da Polícia Florestal no combate a agressões à fauna e à flora no Pantanal mato-grossense e como espaço para educação ambiental.

Conheça o projeto: http://www.moinhocultural.org.br/

Contribuir para a preservação de um prédio histórico e promover o bem-estar das pessoas nas comunidades onde a empresa está inserida.

A J.Macêdo apoiou a construção das novas instalações para o Centro de Integração Universidade Comunidade do Pelourinho (CIUCP) da Faculdade de Medicina da UFBA, a partir de um projeto do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Além de contribuir para a preservação desse prédio histórico, o apoio financeiro da J.Macêdo à iniciativa do Iphan dotou esse serviço de assistência à saúde e de instalações e equipamentos apropriados, localizados no subsolo da Faculdade, no largo do Terreiro de Jesus, em Salvador (BA).

Os investimentos, atrelados à recuperação da função do Centro, pretendem trazer, além de professores e estudantes, massa crítica à área central da cidade. Ao associar as atividades acadêmicas com a prestação de serviços de qualidade à comunidade, este espaço especial propiciado pelo projeto do Iphan cria uma interação favorável tanto para a saúde das famílias do entorno quanto para a formação de estudantes e professores.

Preservar os recursos hídricos, a fauna e a flora, além de recuperar aquelas áreas que foram degradadas.

O fundador da J.Macêdo, José Dias de Macêdo, cujo pai, Manoel, nasceu na região da Serra da Capivara (PI), e que foi seringueiro e seringalista na Amazônia, imprimiu na “Fazenda Canhotinho”, no interior do Ceará, características de reserva ambiental, onde o Ibama libera pássaros apreendidos para que se reintegrem à vida natural.

O cofundador, Benedito Macêdo (1926 – 1991), seu irmão, deixou uma área verde preservada de 112 hectares no coração de Fortaleza, como doação familiar para o funcionamento do CEU – Condomínio Espiritual Uirapuru, que congrega 18 instituições beneficentes, servindo de espaço para movimentações de cunho humanista e religioso.

Os atuais acionistas controladores da J.Macêdo, Amarílio e Roberto Macêdo, tiveram parte de sua formação em uma escola jesuíta situada no alto do Maciço de Baturité, circundada por uma espessa vegetação, resquício de Mata Atlântica em pleno interior cearense. Essa experiência os faz tratar as propriedades como patrimônio natural transformando-as em RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural).

Em 1986, Amarílio Macêdo juntou-se a cientistas, jornalistas e colegas empresários para a criação da Fundação SOS Mata Atlântica, instituição que veio a se notabilizar na defesa dos remanescentes desse bioma em nosso País. Desde o final dos anos 1990, Roberto Macêdo é integrante do conselho da The Nature Conservancy (TNC), entidade ambientalista internacional, que tem como desafios globais a conservação de áreas críticas, a segurança hídrica, a restauração oceanográfica e a redução dos impactos climáticos.

No âmbito de suas atividades junto à TNC, Roberto participou da criação, foi presidente e é membro do conselho da Associação Caatinga, que tem como missão a preservação e a recuperação desse bioma do semiárido brasileiro. Essa entidade adquiriu renome nacional entre ambientalistas pela criação e gestão da Reserva Natural Serra das Almas, área com mais de seis mil hectares, localizada no interior do Ceará.